Mercados de Atuação

Educação Básica

O Brasil é o maior mercado de Educação Básica da América Latina, com cerca de 58 milhões de alunos matriculados, de acordo com o relatório Indicadores Estadísticos del Sistema Educativo del Mercosur, e o quinto maior mercado do mundo no Ensino Superior, segundo dados da UNESCO de 2010. O foco dos investimentos do Governo Brasileiro nos últimos anos tem sido a promoção e a disseminação da Educação Básica, para o qual destina aproximadamente 80% da verba de educação. A rede pública de ensino concentra cerca de 85% das matrículas da Educação Básica, segundo o Censo Escolar de 2010 do INEP.

A Educação Básica no Brasil está dividida em três ciclos de ensino: ensino infantil, ensino fundamental e ensino médio. No Brasil, a educação básica inicia-se geralmente aos 3 ou 4 anos de idade e tem uma duração média de aproximadamente 14 ou 15 anos.

O Brasil fez grandes progressos em educação básica nos últimos dez anos com aumentos significativos na base de matrículas e nas taxas de conclusão do ensino fundamental e do ensino médio. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE) sobre o setor de educação, a taxa líquida de matrícula no ensino fundamental nas regiões metropolitanas do país, que mede o número de alunos matriculados versus o número total da população entre 7 e 14 anos de idade, aumentou de 90,2% em 1995 para 98,1% em 2009. A mesma pesquisa indicou que a taxa líquida de matrícula no ensino médio teve um aumento ainda mais significativo, de 66,6% em 1995 para 85,3% em 2009. A proporção de pessoas com educação média completa no Brasil subiu de 25% na força de trabalho ocupada em 1993 para 33% em 2003.

De acordo com os dados do relatório "Global Education Digest 2006" elaborado pela UNESCO, as taxas médias de alfabetização do Brasil entre o período de 2000 a 2004 foram de 89% entre a população adulta (acima de 15 anos) e 97% entre a população jovem (de 15 a 24 anos), acima da média mundial em ambos os casos.

A Kroton atua de forma integrada e diversificada, operando 2 escolas próprias e provendo serviços de educação, tecnologia de ensino e material didático para uma rede de mais de 800 escolas associadas.

Topo

Ensino Superior

Mesmo já sendo um mercado de dimensão internacional, a Companhia acredita que o Ensino Superior do País ainda possua um alto potencial de crescimento, dado o baixo nível de penetração deste mercado quando comparado a outras nações, inclusive países emergentes. Conforme dados da UNESCO e da Hoper Consultoria publicados em 2010, enquanto no Brasil apenas 27% dos jovens em idade teórica de cursar o Ensino Superior frequentam esse segmento, esse índice chega a 59% no Chile e 71% na Argentina. Já pelo nível etário adotado pelo MEC, menos de 15% da população em idade de cursar o Ensino Superior estava matriculada em instituições em 2011; um índice ainda muito abaixo da meta do Governo Federal que estabeleceu no Plano Nacional de Educação alcançar 33% em 2020, o que indica o potencial de crescimento desse mercado no Brasil.

De acordo com os dados do MEC/INEP critérios da UNESCO, o mercado brasileiro de Ensino Superior foi o quinto maior do mundo em 2010, com aproximadamente 6,6 milhões de alunos matriculados. Em 2012, esse número alcançou a marca de 7,0 milhões de alunos.

A busca crescente por conhecimento e por mão-de-obra qualificada tem impulsionado o crescimento da demanda por cursos de Ensino Superior. No Brasil, possuir um diploma superior causa um aumento salarial de 171% na renda média do indivíduo, segundo dados do estudo feito pela Hoper Educacional sobre tendências e perspectivas de 2005 a 2010. Em especial, há uma tendência de a classe trabalhadora buscar maior qualificação, gerando demanda por Ensino Superior.

Diferentemente do segmento da Educação Básica, o Ensino Superior é dominado por entidades privadas, as quais foram responsáveis por grande parte do crescimento no número total de matrículas nos últimos anos, consolidando seu papel de principal provedor de Ensino Superior no Brasil.

Adicionalmente, o mercado brasileiro do Ensino Superior é caracterizado pela sua fragmentação, contando com 2.416 instituições de ensino, segundo informações do Censo da Educação do Ensino Superior de 2012, das quais 87% são instituições privadas.

No ensino superior, a Kroton conta com 125 campi em operação em todos as regiões do país, Conheça mais sobre nossas unidades clicando aqui.

O FIES tem disso um dos principais programas do governo responsáveis pelo crescimento da penetração no Ensino Superior brasileiro. Abaixo, disponibilizamos mais detalhes desse programa:

Topo

Sobre o Novo FIES

O que é?

O Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES) é um programa do Ministério da Educação destinado a financiar a graduação na educação superior em instituições não-gratuitas. Podem recorrer ao financiamento, os estudantes matriculados em curso superior com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação. Criado em 1999, o FIES passou a funcionar com importantes mudanças que facilitaram ainda mais a contratação do financiamento a partir de 2010 tem um novo formato. Agora, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) é o novo Agente Operador do Programa e os juros caíram para 3,4% ao ano. Além disso, o financiamento poderá ser solicitado em qualquer período do ano.

Principais Características

  • Financia até 100% das mensalidades do curso selecionado.
  • O estudante pode solicitar o financiamento em qualquer período do ano, conforme sua necessidade.
  • A taxa de juros do produto foi reduzida para 3,4% ao ano.
  • As parcelas do financiamento serão mensais e com valores fixos.
  • Parcela máxima de apenas R$ 50,00 por trimestre no período de duração do curso e da carência.
  • 18 meses de carência após o final do período de financiamento.
  • Período de pagamento de até 3 vezes a duração do curso mais 12 meses.
  • Garantia pode ser feita por fiança tradicional, fiança solidária ou utilizando o fundo Fundo de Garantia do Financiamento ao Estudante do Ensino Superior.
  • Obrigatoriedade de ter feito o Enem a partir de 2011. Inscrições para o programa exclusivamente pela internet (http://sisfiesportal.mec.gov.br/index.html).

Podem participar do FIES todos os estudantes regularmente matriculados em cursos de graduação não-gratuitos que tenham obtido avaliação positiva no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) e que seja oferecido por instituição de ensino superior participante do Programa.

Para acessar nosso website do NOVO FIES e fazer uma simulação de investimento, clique aqui.

Educação a Distância

Segundo o levantamento realizado pela Associação Brasileira de Educação à Distância, conforme divulgado no Censo de Educação à Distância, no ano de 2012, havia aproximadamente 5,8 milhões de brasileiros matriculados em algum curso de Educação a Distância no país. Essa foi a modalidade que mais cresceu no mercado de ensino superior privado, atingindo 933 mil alunos em 2012.

Segundo estudos da Hoper Consultoria, os fatores críticos de sucesso para as instituições que pretendem atuar no ensino superior a distância são (i) capilaridade, ou seja, a quantidade de Polos espalhados pelo país; (ii) a competência competitiva dos gestores dos Polos, de modo a captar novos alunos e reter os alunos já matriculados; (iii) a infraestrutura dos Polos e a sua adequação às necessidades dos alunos; (iv) visibilidade nacional, através de uma marca forte; e (v) credibilidade institucional e de conteúdo, tal qual a imagem que a instituição tem junto ao público alvo e a existência de alguns professores/autores com certa notoriedade nacional assinando o conteúdo educacional produzido.

Como consequência, a Kroton é atualmente a maior instituição de Ensino Superior a Distância do Brasil e conta com 726 polos espalhados nas principais cidades do país.