> Notícias

Notícias

MRS apresentará 22 trabalhos no IV Encontro Nacional de Ferrovias

Evento acontece nos dias 7 e 8 de agosto, na Universidade Federal do Espírito Santo, na capital capixaba.

O IV Encontro Nacional de Ferrovias tem como o tema "O sistema ferroviário: produtividade e segurança operacional" e terá a participação de todas as concessionárias que operam a malha ferroviária brasileira, fornecedores e área acadêmica. No total, serão apresentados 87 trabalhos desenvolvidos por estudantes e profissionais do setor.

A MRS Logística apresentará 22 trabalhos. Este encontro é considerado o maior evento técnico do setor. Da programação, que contempla trabalhos técnicos e de pesquisa nas categorias de Via Permanente, Material Rodante, Operação, Manutenção, Segurança, Inovação, Eficiência Energética e Eletroeletrônica, constam apresentações, debates, plenárias e estudos de caso.

Entre os temas que a MRS apresentará como inovação tecnológica está o CBTC - Controle de Trens Baseado em Comunicação. O projeto inovador será apresentado por Alexandre Goulart, da área de Sistemas de Telecomunicações da Gerência Geral de Projetos Especiais. "Vamos falar sobre a motivação que levou a MRS a executar o projeto, os resultados esperados e a solução técnica encontrada", conta.

CBTC:

A MRS é a primeira ferrovia de carga do mundo a usar o CBTC - sistema de controle e monitoramento do movimento dos trens através de rede dedicada de comunicação interligada com a sinalização no campo. O computador de bordo troca continuamente informações sobre posição, velocidade e licenciamento e também recebe informações dos trens à frente, do trabalho de equipes de manutenção e de restrições de velocidade. Ele impede excessos de velocidade e, nos casos em que o maquinista não atuar, o sistema coloca o trem e sua vizinhança em condição segura, reduzindo a velocidade (corte de tração) ou até parando composições.

Em junho, o CBTC entrou em operação assistida, na Ferrovia do Aço. "Não há dúvidas de que os trens que operam com o CBTC estão mais seguros e de que a tecnologia funciona. O desafio agora é estender a área em operação, além de identificar e corrigir qualquer problema ou defeito encontrado durante o período de operação assistida", avalia Alexandre Goulart.

O caminho percorrido pela MRS desde a concepção do projeto até o início da operação assistida foi marcado por investimentos em grandes projetos, como a construção do novo Centro de Controle Operacional (CCO), migração para sistema digital de comunicação por voz, novo sistema de energia elétrica, substituição dos antigos painéis mímicos e a implantação da nova solução de sinalização em 20 pátios da Ferrovia do Aço, num total de 190 km, com benefícios em segurança, capacidade, disponibilidade e eficiência energética.