Hoje na Economia

  • Clique aqui para adicionar essa página aos favoritos

    Meus Favoritos

    Personalizar seus Favoritos:

    1) Escreva no campo abaixo o nome da página da maneira que mais lhe agrada.

    2) Clique em "Incluir no Meus Favoritos".


  • PDF
  • Imprimir
  • Enviar para um amigo

Edição 2012

15/05/2018

Na terça-feira mercados financeiros globais abrem com preocupações em relação ao crescimento chinês, alta nos juros de países desenvolvidos e num ambiente não muito bom para ativos de países emergentes.

Na Ásia, as bolsas fecharam em queda, com o índice MSCI Ásia Pacífico recuando -0,8%. O índice Nikkei224 do Japão caiu -0,21% enquanto a bolsa da China subiu 0,57%. Os dados econômicos chineses mostraram vendas no varejo vindo abaixo do esperado (9,4% A/A, contra expectativa de 10,0% A/A) e desacelerando em relação ao mês anterior (10,1%). Os investimentos também desapontaram (7,0% A/A contra mediana de expectativas de 7,4% A/A), enquanto a produção industrial cresceu 7,0% A/A, acima da mediana de projeções, que era de 6,4% A/A. Apesar de não ter afetado a bolsa chinesa, os dados econômicos chineses não parecem ter ajudado os ativos dos outros países em desenvolvimento, havendo quedas em todas as outras bolsas na Ásia. O iene está se depreciando contra o dólar, -0,23%, cotado a ¥/US$ 109,92.

Na Europa, as bolsas operam perto da estabilidade. O índice pan-europeu STOXX600 sobe 0,05%, com altas de 0,32% no FTSE100 de Londres e 0,06% no CAC40 de Paris. Há queda de -0,14% no DAX de Frankfurt. O euro está se desvalorizando -0,07% contra o dólar, cotado a US$/€ 1,1919. A produção industrial na Zona do Euro em março veio abaixo do esperado (0,5% M/M contra expectativa de 0,7% M/M), enquanto o PIB do 1º trimestre não sofreu revisões (crescimento de 0,4% T/T) e o indicador ZEW de confiança do investidor subiu de 1,9 para 2,5. Os juros futuros na Zona do Euro seguem subindo, ainda reagindo ao comentário mais hawkish do membro do BCE ontem.

Nos EUA, os juros futuros seguem em alta, com a Treasury de 10 anos tendo ultrapassado o patamar de 3,0%, agora estando a 3,013% a.a.. O índice futuro da bolsa S&P500 está em ligeira queda, de -0,10%. O dólar está ganhando valor contra outras moedas, em especial de países emergentes, com o índice DXY subindo 0,18%. Hoje sairão diversos dados de atividade, com grande impacto nos mercados financeiros, com destaque para as vendas no varejo de abril (expectativa de crescimento de 0,4% M/M no núcleo, ritmo igual ao do mês anterior).

Os preços de commodities sobem pela manhã, com o índice geral da Bloomberg avançando 0,20%. O preço do petróleo tipo WTI segue sua trajetória de alta, hoje avançando 0,96%, a US$ 71,65.

No Brasil, o resultado da pesquisa eleitoral ontem divulgado pela CNT/MDA não foi bem recebido pelos mercados financeiros. Hoje será divulgada a pesquisa mensal de serviços de março, com expectativa de diminuição da intensidade da queda A/A em relação ao mês anterior (-1,4% A/A contra -2,2% A/A em fevereiro). O real deve novamente abrir o dia se depreciando hoje, acompanhando o movimento de moedas de países emergentes e com nenhuma notícia boa doméstica. Os juros futuros também devem subir. Caso o dado de serviços venha abaixo do esperado, os vencimentos mais curtos podem subir menos ou até cair, porém os vencimentos mais longos devem seguir o movimento do dólar e da incerteza política, além do mau humor global. A bolsa brasileira deve ser o ativo que menos deve cair hoje, com a alta dos preços de commodities evitando uma queda maior, e com as ações de empresas exportadoras sendo ajudadas pela depreciação cambial.