Economic HighLights

  • Clique aqui para adicionar essa página aos favoritos

    Meus Favoritos

    Personalizar seus Favoritos:

    1) Escreva no campo abaixo o nome da página da maneira que mais lhe agrada.

    2) Clique em "Incluir no Meus Favoritos".


  • PDF
  • Imprimir
  • Enviar para um amigo

Vendas no Varejo - Agosto 2018

As vendas no varejo em agosto subiram 1,3% M/M, acima do que esperado pela SulAmérica Investimentos (-0,7%) e pela mediana de projeções do mercado (0,2%). Esse crescimento em agosto compensou em parte a queda verificada nos três meses anteriores (de -1,5%). Em relação ao mesmo mês do ano anterior houve alta de 4,1% A/A, o maior nível de crescimento desde mar/18 (que foi de 8,0% A/A). Em 12 meses a taxa de expansão deixou de desacelerar (algo que estava ocorrendo desde março) e subiu ligeiramente de 3,2% para 3,3%.

Dentre os 8 grupos que compõem o varejo restrito apenas 1 teve queda em agosto na comparação M/M (Livros, jornais, revistas e papelaria, -2,5% M/M). Todos os outros tiveram alta, com os destaques sendo Combustíveis e lubrificantes (3,0% M/M) e Vestuário e calçados (5,6% M/M). O crescimento na venda de combustíveis está relacionado à queda nos preços desses itens que ocorreu nos meses de julho e agosto (de -1,8% e -1,86% no IPCA, respectivamente).

O varejo ampliado, que inclui as vendas de mais dois setores, teve um crescimento ainda mais forte que o restrito, 4,2% M/M. Houve aumento mais forte nas vendas tanto de Material de Construção, 4,6% M/M, quanto de Veículos, partes e peças (5,4% M/M).

O resultado melhor que o esperado nas vendas no varejo faz a projeção para o IBC-Br de agosto ficar em +0,3% M/M e +1,8% A/A. O varejo deve seguir mostrando crescimento no restante do ano, mas com taxas menores do que as vistas em agosto. A expectativa da SulAmérica Investimentos para o varejo em 2018 é de alta de 3,0% contra 2,1% em 2017.