Grãos e Fibras

Entre 1970 e 2010, a população mundial dobrou enquanto as terras destinadas à agricultura não cresceram na mesma magnitude, o que gerou, atualmente, uma forte demanda por commodities agrícolas, puxada principalmente pelo consumo chinês (102,8 mil toneladas de grãos de soja na safra 2016/2017), sendo que em 2005 esse número era de 27 mil toneladas.

Neste cenário a Terra Santa Agro está entre as maiores produtoras de grãos e fibras do Brasil, em linha com a tendência de crescimento do setor no mercado internacional.

A Companhia está concentrada exclusivamente no estado brasileiro do Mato Grosso, por este apresentar condições favoráveis ao agronegócio. Além disso, objetivando a melhor rentabilidade de suas culturas, adotou-se uma política de redução de risco de plantio, na qual são estipulados diferentes planos de plantio para possíveis variações climáticas.

Principais Culturas da Terra Santa Agro:

Atividade moderna e dinâmica, o cultivo de soja recebe grande aplicação de tecnologia, desde o preparo do solo até a utilização do maquinário destinado à colheita, além disso, possui curto período de produção quando comparado com outras culturas. O Brasil é um dos principais produtores e exportadores de soja do mundo e conta com padrões de eficiência e destaque, tornando a produção de soja economicamente importante para o país.

A soja é a cultura de principal importância econômica da Terra Santa Agro. O plantio, a colheita, a padronização e a armazenagem dos grãos são realizados pela Companhia em conformidade com elevados padrões de qualidade que contribuem para a excelência do produto final.

Cultura de ciclo mais longo e com alta rentabilidade, o algodão também é de suma importância na agricultura brasileira, da qual se extrai como principal produto a pluma e, como subproduto, o caroço, que é rico em proteína e é utilizado na alimentação de bovinos. Além disso, a partir do caroço de algodão é obtido farelo, óleo e línter, produtos que têm demanda crescente no mercado interno e externo.

O algodão cultivado nas unidades de produção da Terra Santa Agro é plantado principalmente em 2ª safra.

O beneficiamento do algodão é realizado em 3 algodoeiras (próprias) e grande parte do produto final é destinada à exportação para países asiáticos e europeus.

Com cadeia de valor muito simples e com baixo custo para o plantio (a comercialização se faz na forma de grãos), o milho constitui também importante cultura para formação de matéria orgânica no solo e na rotação de culturas, buscando assim um controle biológico das pragas de solo, muito comuns na monocultura. O milho cultivado nas unidades de produção da Terra Santa Agro é caracterizado como cultura de segunda safra.

O Brasil é um dos maiores produtores de milho do mundo, destinando praticamente toda a produção ao consumo interno.

Cronograma da Safra

A Companhia está sujeita ao comportamento sazonal baseado nos ciclos de plantio, tratamento e colheita do algodão, soja e milho nas diferentes regiões em que se localizam suas fazendas. Esses períodos dependem da pluviosidade dessas regiões e determinam todos os manejos realizados nas culturas. A safra vai do mês de setembro de um ano até agosto do ano subsequente.

Conforme pode ser observado no cronograma abaixo:

Área Plantada

Plantio (ha)
Mix de Culturas 2018/19 2019/20
Realizado Part. (%) 1ª Intenção de Plantio Part. (%)
Soja 91.064 58% 80.679 54%
1ª Safra 91.064 58% 80.679 54%
Algodão 35.908 23% 39.951 27%
1ª Safra 466 0% 223 0%
2ª Safra 35.442 23% 39.728 27%
Milho 28.282 18% 23.985 16%
1ª Safra 0 0% 395 0%
2ª Safra 24.572 16% 22.362 15%
Milho Alternativo 0 0% 0 0%
Milho Pipoca 2.236 1% 0 0%
Milho Cortina 1.474 1% 1.228 1%
Feijão 499 0% 3.359 2%
Outros 912 1% 479
0%
Total 156.665 100% 148.543 100%